Lorax, o filme

Tropecei no Lorax meio por acaso, em busca de um filme de animação para partilhar com a Dalila, a filha mais velha, numa tarde de sábado. Os primeiros segundos foram suficientes para perceber que a mensagem não era só para as crianças.

O filme

O filme começa por descrever Thneedville, a cidade feita de plástico, sem uma única árvore viva, onde o ar não é limpo e os habitantes são felizes sem se interessarem para onde vão o lixo e os produtos químicos.

Quando Ted, o protagonista do filme, descobre que o sonho da sua amada – a bela Audrey – é ver uma árvore de verdade, inicia uma odisseia por terras proibidas para encontrar Umavez-ildo, o único capaz de conseguir uma árvore, segundo a lenda contada pela avó Norma.

Com Umavez-lido recuamos ao passado e entramos no mágico Vale da Trúfula habitado por peixes cantores, cisnes cismados, ursos barbalutes e coloridas árvores de trúfula. O ser laranja e bigodudo que dá nome ao filme – Lorax, aparece quando Umavez-lido corta a primeira árvore de trúfula para produzir um “sneed” – um multifunções cachecol. Preocupado com o seu planeta, Lorax tenta alertá-lo – primeiro com palavras e depois com acções – para as consequências que a dizimação da floresta vai provocar. Mas o ganancioso Umavez-ildo só quer saber de produzir mais e mais sneeds e vai derrubando as árvores uma a uma.

A mensagem

O filme colorido e cheio de aventura traz um recado importante a crianças e adultos – se não aprendermos a respeitar o planeta em que vivemos, muitas árvores serão derrubadas e cedo estaremos a morar em cidades como Thneedville. 🌿