Como tornar o Natal mais sustentável?

O Natal talvez seja a época do ano em que é mais difícil manter-se fiel à missão da sustentabilidade. As minhas filhas passam pelas ruas cheias de luzinhas e dizem: “Olha Mãe! As ruas estão tão bonitas!”. Com a maior das vergonhas respondo: “Quando penso na energia necessária para manter estas luzes ligadas, dia e noite, não acho assim tão bonito filhas”. Elas nunca pensaram sobre isso… Na verdade, a maior parte de nós nunca ousou contestar as tradições natalícias, certo? Mas, numa altura em que são muitas as provas de que estamos a esgotar os recursos do nosso planeta, é urgente reformular os nossos hábitos. A pergunta deste mês é: como podemos tornar o Natal mais sustentável?

O que é o Natal?

Dezembro é mês de balanço. O fim do ano traz-nos uma espécie de sentimento de nostalgia e damos por nós a percorrer mentalmente todos os meses que passaram – celebramos as conquistas, lamentamos as perdas, reavaliamos o que correu menos bem, transformamos experiências em lições de vida. Há já alguns anos, dei por mim a reconsiderar também o Natal. “Afinal, o que é o Natal? O que significa verdadeiramente o Natal? O quem me faz sentir bem no Natal? O que me deixa triste, nervosa ou ansiosa no Natal?”. Não temos de fazer isto ou aquilo simplesmente porque é tradição, se nos faz sentir mal. Não temos de oferecer presentes à família inteira se não temos como os pagar. Não temos de decorar a casa inteira só porque toda a gente o faz. Para mim natal é reunião, é um momento de introspecção, de família. Mas para toda a sociedade transformou-se numa época de consumo desenfreado e desperdício gigante. Se, como eu, querem reformular o vosso conceito de Natal, aqui ficam 10 dicas para um Natal mais sustentável.

10 dicas para um Natal mais sustentável

Consumo Consciente “Please!!!

Esta é, e sempre será, a dica número 1. Nesta altura do ano, tudo apela ao consumo – as montras das lojas estão lindas e convidam a entrar, os anúncios publicitários enfeitam os produtos com magia, o subsídio de Natal cria a oportunidade, a tradição diz que um presente significa afecto… Mais do que nunca, é importante manter os pés no chão: criem uma lista com as vossas reais necessidades e mantenham-se fiéis a ela; comprem apenas produtos para os quais tenham funções definidas e optem sempre por opções mais ecológicas e de fair trade, com o menor impacto ambiental possível.

Árvore de Natal “The same, but different”

A árvore de Natal é obrigatória aqui em casa. As pequeninas adoram o ritual de montagem da árvore. Na realidade o que importa não é a árvore propriamente dita, mas sim a união em torno dela. Temos uma árvore artificial que todos os anos sai da arrecadação para dar luz e cor a esta época natalícia. Os enfeites foram-se acumulando e, cada ano, resultam numa combinação diferente. A palavra de ordem para a nossa árvore de Natal é REUTILIZAR.

Para quem não tem árvore pronta a reutilizar, as opções são:

  • Usar a imaginação – o conceito de árvore de Natal pode ser abstracto: empilhar livros, num triângulo invertido já é uma árvore de Natal;
  • Plantar uma árvore – quem tem um jardim, pode dar vida à própria árvore de Natal;
  • Alugar uma árvore natural – iniciativas como o Pinheiro Bombeiro, alugam as árvores cortadas para limpeza dos terrenos florestais e garantem a sua transformação em biomassa no fim do aluguer. Neste caso, o dinheiro reverte para os Bombeiros Voluntários;
  • Comprar artificial, em segunda mão – existem muitas pessoas a descartar-se das árvores a mais, nos sites de venda online – porque não dar-lhe uma segunda vida?

Decoração “Do It Yourself”

Paus, pinhas, folhas de eucalipto ou oliveira, ramos de alecrim são os materiais perfeitos para decorar as nossas casas nesta altura do ano. Menos plástico, mais criatividade!

Luzes

Não podemos controlar o dinheiro que as câmaras municipais utilizam para iluminar as ruas mas podemos ligar a nossa árvore de Natal o menos possível. É obrigatório desligar a árvore de Natal sempre que saímos de casa e quando vamos dormir. As luzes devem ser eficientes e de baixo consumo energético (LED).

Cartão de Natal “Zero Waste

Muitos dos cartões de Boas Festas à venda incluem película plástica, inviabilizando a sua reciclagem e, sinceramente, na maior parte das vezes, são lidos e descartados imediatamente. Quem quer mesmo oferecer um cartão com votos de Feliz Natal pode optar por uma versão digital ou pode dar uma nova vida aos restos de cartão que estão no caixote da reciclagem.

Presentes de Natal

  • Be present – numa vida a mil, em que os empregos ocupam demasiado espaço, tempo de qualidade é, grande parte das vezes, o melhor dos presentes; 
  • Offer Experiences, Not Stuff – uma ida ao teatro, cheques prenda para gastar no cinema, fazer patinagem no gelo, andar na roda-gigante, explorar um museu ou o jardim zoológico, são experiências amigas do ambiente e excelentes presentes para os mais pequenos. Para os mais crescidos sugiro cheques-massagem, viagens (com pequena pegada ambiental) ou aulas/workshops que estimulem a criatividade ou a sustentabilidade;
  • DIY – biscoitos saudáveis embalados num frasco reutilizável, decorados com uma fita ou um cordel são óptimos presentes de Natal; 
  • Dinheiro – um presente sempre apreciado e 100% reutilizável;
  • Kits Zero Waste – são uma excelente forma de disseminar a consciência ambiental e promover a reutilização junto de quem o recebe;
  • Voluntariado ou doações – o Natal é uma época de entre-ajuda e de solidariedade. Há muitas pessoas a precisar do nosso tempo e carinho;

Embrulhos

A quantidade de plástico e cartão que ficam depois de um Natal é preocupante. As embalagens para os presentes podem ser feitas de produtos reutilizados como restos de tecido, materiais reciclados ou pode nem ser precisa uma embalagem.

Comida

O Natal é também sinónimo de “excesso de comida”. É muito importante planear as refeições com sensatez e optar por ementas mais saudáveis. Na hora de ir às compras, é muito útil ter uma lista de compras para nos guiar. Devemos comprar o mais possível a granel (evitando embalagens desnecessárias), preferir produtos biológicos e da regionais. Os restos das refeições de Natal devem ser congelados, evitando assim o desperdício.

Deslocações

Natal significa, infelizmente, muito trânsito! Este ano vamos usar mais os transportes públicos nos preparativos e nas visitas aos familiares. Vamos dividir o carro com família e amigos, diminuindo a pegada carbónica.

Resíduos

Se seguirmos todas as dicas acima teremos, sem dúvida, um Natal com muito menos resíduos. No entanto, é sempre difícil controlar os presentes que nos são oferecidos, as garrafas de vinho, os sacos e os embrulhos que chegam. É importante saber tratá-los e separá-los da melhor forma. Os restos de comida devem ser compostados ou colocados no contentor castanho dos resíduos orgânicos (Lisboa). Papel, plástico e vidro devem ser correctamente reciclados. Não há espaço para comodismo!

Feliz Natal a todos!

Acreditem, este Natal podem fazer a diferença! Por cada refeição sem desperdício, por cada presente zero-waste, por cada embrulho amigo do ambiente vem uma mensagem capaz de contagiar quem a recebe. Natal mais sustentável para todos!